Domingo, 07 de Dezembro de 2008

Ainda consigo resistir, estou vivo!
Mas dificilmente conseguirei subsistir…

Acabo a apelar a um Deus cuja existência nego,
Porque desperdicei demasiado tempo na busca de liberdade
Quando nunca ninguém é livre de verdade…

Os teus piores dias foram os meus melhores
Mesmo assim, por ti, suportaria tudo de novo!
Descansas serena enquanto eu tenho insónias
Porque quem se preocupa fá-lo de verdade…

O que é que eu posso fazer
Quando a minha melhor parte és tu!
O que é que eu posso dizer
Enquanto enfraqueço e tu estás bem?

As coisas más acontecem com um motivo
Infelizmente nada me fará parar de sangrar.
Porque partiste e eu lamento-o,
Porque partiste para sempre, de verdade…

Conseguiste o meu coração e feriste-o,
Partiste e impingiste-me culpas…
Fiquei a tentar perceber o que restou
Porque me deixaste sem amor, de verdade…


Publicado por Sandro M. Gomes às 22:58
Este poema é absolutamente espectacular...é daqueles poemas que toca!
Parabens!!
Ana Gonçalves a 15 de Dezembro de 2008 às 22:41

Uma aventura nada arriscada pelo mundo da poesia. Entra e instala-te, deixa que em ti flua, de modo sensato, o espírito e a inspiração poética.
mais sobre mim
Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO