Sexta-feira, 27 de Junho de 2008


É, sinceramente, amor…
Não sei o que em mim vai.
É como uma dor aguda,
Que dói sem qualquer mal ter.


Sim, é ter o coração repleto
De melodias e canções.
É uma droga para a minha alma.
Deve ser, só pode…
Deve ser amor.


Dança, uma dança bem diferente,
Isto sim é estar contente.
Este gosto de chorar, de rir, de chorar…
Música, um ritmo envolvente
Como o nosso amor, querida.


Publicado por Sandro M. Gomes às 22:31
Uma aventura nada arriscada pelo mundo da poesia. Entra e instala-te, deixa que em ti flua, de modo sensato, o espírito e a inspiração poética.
mais sobre mim
Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
19
20

22



pesquisar neste blog
 
blogs SAPO