Segunda-feira, 05 de Maio de 2008

Quero ser como um poeta.
Poder falar, sentir, chorar…
Mas pouco ou nada me vale tentar
Porque não te tenho, a ti.

O teu inesquecível e doce sorrir
O teu penetrante e meigo olhar
Queria tanto…

Poder olhar para ti serenamente,
Depois meigamente tocar-te,
Abraçar-te com ternura e quente amor,
Para por fim,
Ousada e intensamente beijar-te.

Mas acaba tudo por ser em vão.
Lacerado e arrasado está o meu coração,
Porque vazio está, vagueando sem rumo nem razão.
Poeta não sou, e tu não mais que mera ilusão.


Publicado por Sandro M. Gomes às 20:41
Uma aventura nada arriscada pelo mundo da poesia. Entra e instala-te, deixa que em ti flua, de modo sensato, o espírito e a inspiração poética.
mais sobre mim
Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
14

23



pesquisar neste blog
 
blogs SAPO