Quinta-feira, 20 de Dezembro de 2007
Junto à lareira escrevo,
Relembro agora, situações passadas,
Escrevo com gosto,
Escrevo até que, com calma, me doa a alma.

Tristes redordações assolam o meu ser,
Trazem até mim um passado
Pesado, sinto-me neste momento,
Já nem sentado me aguento.

O calor faz-me mole,
Cria em mim sentimentos de loucura,
Uma loucura comedida,
Uma loucura que me leva até ti.

Longe estás, meu amor,
Neste barco que é a vida,
A oscilação faz-me adormecer,
Espero que não seja em vão.

Dormindo sonho contigo,
Sonhando, contigo quero estar,
Entras no meu sonho perdido,
Como quem entra no mar.

Mar que inunda o meu coração,
Tira-me o sofrimento,
Dá-me carinho e afecto,
Aquece-me a razão.

Contigo vivo os prazeres da vida,
Sugas todo o meu amor,
Porque na verdade o permito,
Tudo te dou e nada te nego.

Para onde foste agora,
Fechei os olhos e desapareces-te,
Volta por favor, trás de novo o calor,
O calor que me aquece.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:20
Uma aventura nada arriscada pelo mundo da poesia. Entra e instala-te, deixa que em ti flua, de modo sensato, o espírito e a inspiração poética.
mais sobre mim
Dezembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
21

23
24
25
26
27
28
29

31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO