Sexta-feira, 21 de Março de 2008

As memórias não apagam a distância entre nós,
Não atenuam sequer a ausência da tua fragrância,
Fazem-me sofrer silenciosamente.

Sou completamente dominado por ti,
Entras-te na minha alma sorrateiramente,
E agora,
Agora vives lá para sempre.

Não digas que estou a ser propositado,
A minha consideração por ti
Existe na ausência de qualquer interesse profano.

Quero o teu amor, a tua presença,
Que me aquece o coração gélido,
Que me move quando vontade me falta,
Quero-te, e no fundo, sei que também me queres.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:48

As memórias não apagam a distância entre nós,
Não atenuam sequer a ausência da tua fragrância,
Fazem-me sofrer silenciosamente.

Sou completamente dominado por ti,
Entras-te na minha alma sorrateiramente,
E agora,
Agora vives lá para sempre.

Não digas que estou a ser propositado,
A minha consideração por ti
Existe na ausência de qualquer interesse profano.

Quero o teu amor, a tua presença,
Que me aquece o coração gélido,
Que me move quando vontade me falta,
Quero-te, e no fundo, sei que também me queres.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:48

As memórias não apagam a distância entre nós,
Não atenuam sequer a ausência da tua fragrância,
Fazem-me sofrer silenciosamente.

Sou completamente dominado por ti,
Entras-te na minha alma sorrateiramente,
E agora,
Agora vives lá para sempre.

Não digas que estou a ser propositado,
A minha consideração por ti
Existe na ausência de qualquer interesse profano.

Quero o teu amor, a tua presença,
Que me aquece o coração gélido,
Que me move quando vontade me falta,
Quero-te, e no fundo, sei que também me queres.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:48

As memórias não apagam a distância entre nós,
Não atenuam sequer a ausência da tua fragrância,
Fazem-me sofrer silenciosamente.

Sou completamente dominado por ti,
Entras-te na minha alma sorrateiramente,
E agora,
Agora vives lá para sempre.

Não digas que estou a ser propositado,
A minha consideração por ti
Existe na ausência de qualquer interesse profano.

Quero o teu amor, a tua presença,
Que me aquece o coração gélido,
Que me move quando vontade me falta,
Quero-te, e no fundo, sei que também me queres.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:48

As memórias não apagam a distância entre nós,
Não atenuam sequer a ausência da tua fragrância,
Fazem-me sofrer silenciosamente.

Sou completamente dominado por ti,
Entras-te na minha alma sorrateiramente,
E agora,
Agora vives lá para sempre.

Não digas que estou a ser propositado,
A minha consideração por ti
Existe na ausência de qualquer interesse profano.

Quero o teu amor, a tua presença,
Que me aquece o coração gélido,
Que me move quando vontade me falta,
Quero-te, e no fundo, sei que também me queres.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:48

As memórias não apagam a distância entre nós,
Não atenuam sequer a ausência da tua fragrância,
Fazem-me sofrer silenciosamente.

Sou completamente dominado por ti,
Entras-te na minha alma sorrateiramente,
E agora,
Agora vives lá para sempre.

Não digas que estou a ser propositado,
A minha consideração por ti
Existe na ausência de qualquer interesse profano.

Quero o teu amor, a tua presença,
Que me aquece o coração gélido,
Que me move quando vontade me falta,
Quero-te, e no fundo, sei que também me queres.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:48

Sinto falta.
Sinto falta da tua presença,
Sinto falta das nossas brincadeiras diárias,
Sinto falta desse teu olhar aconchegante,
Sinto falta do teu sorriso
Que no meu peito faz agitar o coração,
Sinto falta de ti, e de nada mais.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:39

Sinto falta.
Sinto falta da tua presença,
Sinto falta das nossas brincadeiras diárias,
Sinto falta desse teu olhar aconchegante,
Sinto falta do teu sorriso
Que no meu peito faz agitar o coração,
Sinto falta de ti, e de nada mais.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:39

Sinto falta.
Sinto falta da tua presença,
Sinto falta das nossas brincadeiras diárias,
Sinto falta desse teu olhar aconchegante,
Sinto falta do teu sorriso
Que no meu peito faz agitar o coração,
Sinto falta de ti, e de nada mais.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:39

Sinto falta.
Sinto falta da tua presença,
Sinto falta das nossas brincadeiras diárias,
Sinto falta desse teu olhar aconchegante,
Sinto falta do teu sorriso
Que no meu peito faz agitar o coração,
Sinto falta de ti, e de nada mais.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:39

Sinto falta.
Sinto falta da tua presença,
Sinto falta das nossas brincadeiras diárias,
Sinto falta desse teu olhar aconchegante,
Sinto falta do teu sorriso
Que no meu peito faz agitar o coração,
Sinto falta de ti, e de nada mais.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:39

Sinto falta.
Sinto falta da tua presença,
Sinto falta das nossas brincadeiras diárias,
Sinto falta desse teu olhar aconchegante,
Sinto falta do teu sorriso
Que no meu peito faz agitar o coração,
Sinto falta de ti, e de nada mais.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:39

Sofres tu e, na verdade, eu faço-o contigo,
Porque qualquer sentimento
Exteriorizado por ti,
É, obrigatoriamente experimentado por mim.

Mas, por favor, não chores,
Já to disse antes e volto a fazê-lo,
O teu choro, essa tua angústia
Consome-me, mata-me a partir de dentro.

A partir do local onde só tu deves estar,
Nada mais, nenhum vestígio de tristeza
Porque sabendo que me amas,
A ti me dou, na plenitude.

Pleno de paixão, de amor,
Mas sobretudo pleno de ti
Que és a mais valiosa pessoa
Neste universo composto de pessoas falsas.

Pessoas diferentes de ti,
Que não partilham a beleza do teu Ser,
Esses seres banais, sem escrúpulos,
Sem qualquer vestígio de grandeza.

Não sofras mais, não chores,
Limpa o teu coração em mim,
Liberta-te desses momentos menos felizes,
Aproxima-te e deixa-me mostrar-te o Amor.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:32

Sofres tu e, na verdade, eu faço-o contigo,
Porque qualquer sentimento
Exteriorizado por ti,
É, obrigatoriamente experimentado por mim.

Mas, por favor, não chores,
Já to disse antes e volto a fazê-lo,
O teu choro, essa tua angústia
Consome-me, mata-me a partir de dentro.

A partir do local onde só tu deves estar,
Nada mais, nenhum vestígio de tristeza
Porque sabendo que me amas,
A ti me dou, na plenitude.

Pleno de paixão, de amor,
Mas sobretudo pleno de ti
Que és a mais valiosa pessoa
Neste universo composto de pessoas falsas.

Pessoas diferentes de ti,
Que não partilham a beleza do teu Ser,
Esses seres banais, sem escrúpulos,
Sem qualquer vestígio de grandeza.

Não sofras mais, não chores,
Limpa o teu coração em mim,
Liberta-te desses momentos menos felizes,
Aproxima-te e deixa-me mostrar-te o Amor.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:32

Sofres tu e, na verdade, eu faço-o contigo,
Porque qualquer sentimento
Exteriorizado por ti,
É, obrigatoriamente experimentado por mim.

Mas, por favor, não chores,
Já to disse antes e volto a fazê-lo,
O teu choro, essa tua angústia
Consome-me, mata-me a partir de dentro.

A partir do local onde só tu deves estar,
Nada mais, nenhum vestígio de tristeza
Porque sabendo que me amas,
A ti me dou, na plenitude.

Pleno de paixão, de amor,
Mas sobretudo pleno de ti
Que és a mais valiosa pessoa
Neste universo composto de pessoas falsas.

Pessoas diferentes de ti,
Que não partilham a beleza do teu Ser,
Esses seres banais, sem escrúpulos,
Sem qualquer vestígio de grandeza.

Não sofras mais, não chores,
Limpa o teu coração em mim,
Liberta-te desses momentos menos felizes,
Aproxima-te e deixa-me mostrar-te o Amor.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:32

Sofres tu e, na verdade, eu faço-o contigo,
Porque qualquer sentimento
Exteriorizado por ti,
É, obrigatoriamente experimentado por mim.

Mas, por favor, não chores,
Já to disse antes e volto a fazê-lo,
O teu choro, essa tua angústia
Consome-me, mata-me a partir de dentro.

A partir do local onde só tu deves estar,
Nada mais, nenhum vestígio de tristeza
Porque sabendo que me amas,
A ti me dou, na plenitude.

Pleno de paixão, de amor,
Mas sobretudo pleno de ti
Que és a mais valiosa pessoa
Neste universo composto de pessoas falsas.

Pessoas diferentes de ti,
Que não partilham a beleza do teu Ser,
Esses seres banais, sem escrúpulos,
Sem qualquer vestígio de grandeza.

Não sofras mais, não chores,
Limpa o teu coração em mim,
Liberta-te desses momentos menos felizes,
Aproxima-te e deixa-me mostrar-te o Amor.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:32

Sofres tu e, na verdade, eu faço-o contigo,
Porque qualquer sentimento
Exteriorizado por ti,
É, obrigatoriamente experimentado por mim.

Mas, por favor, não chores,
Já to disse antes e volto a fazê-lo,
O teu choro, essa tua angústia
Consome-me, mata-me a partir de dentro.

A partir do local onde só tu deves estar,
Nada mais, nenhum vestígio de tristeza
Porque sabendo que me amas,
A ti me dou, na plenitude.

Pleno de paixão, de amor,
Mas sobretudo pleno de ti
Que és a mais valiosa pessoa
Neste universo composto de pessoas falsas.

Pessoas diferentes de ti,
Que não partilham a beleza do teu Ser,
Esses seres banais, sem escrúpulos,
Sem qualquer vestígio de grandeza.

Não sofras mais, não chores,
Limpa o teu coração em mim,
Liberta-te desses momentos menos felizes,
Aproxima-te e deixa-me mostrar-te o Amor.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:32

Sofres tu e, na verdade, eu faço-o contigo,
Porque qualquer sentimento
Exteriorizado por ti,
É, obrigatoriamente experimentado por mim.

Mas, por favor, não chores,
Já to disse antes e volto a fazê-lo,
O teu choro, essa tua angústia
Consome-me, mata-me a partir de dentro.

A partir do local onde só tu deves estar,
Nada mais, nenhum vestígio de tristeza
Porque sabendo que me amas,
A ti me dou, na plenitude.

Pleno de paixão, de amor,
Mas sobretudo pleno de ti
Que és a mais valiosa pessoa
Neste universo composto de pessoas falsas.

Pessoas diferentes de ti,
Que não partilham a beleza do teu Ser,
Esses seres banais, sem escrúpulos,
Sem qualquer vestígio de grandeza.

Não sofras mais, não chores,
Limpa o teu coração em mim,
Liberta-te desses momentos menos felizes,
Aproxima-te e deixa-me mostrar-te o Amor.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:32
Uma aventura nada arriscada pelo mundo da poesia. Entra e instala-te, deixa que em ti flua, de modo sensato, o espírito e a inspiração poética.
mais sobre mim
Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
12
14
15

16
17
18
19
20
22

23
24
27
28
29

30
31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO