Terça-feira, 25 de Março de 2008

É esse sorriso que quero ver diariamente,
Quero esgotá-lo, para meu prazer,
E, brindar-te dia-a-dia
Com novas de amor eterno.

Jurar-te e prometer-te o infinito,
Alcançar, para ti, lugares desconhecidos
Onde nos possamos amar infinitamente
Sem nunca nos sentirmos perdidos.

Anda vem comigo, depressa,
O dia urge e o calor aperta,
Não deixes morrer cedo
Esta alegria que agora desperta.

Chegamos, talvez cedo de mais,
Não to posso dizer,
Pois não o sabendo, um só coisa sei,
Amar-te, sempre o farei.


Publicado por Sandro M. Gomes às 20:46
Terça-feira, 25 de Março de 2008

É esse sorriso que quero ver diariamente,
Quero esgotá-lo, para meu prazer,
E, brindar-te dia-a-dia
Com novas de amor eterno.

Jurar-te e prometer-te o infinito,
Alcançar, para ti, lugares desconhecidos
Onde nos possamos amar infinitamente
Sem nunca nos sentirmos perdidos.

Anda vem comigo, depressa,
O dia urge e o calor aperta,
Não deixes morrer cedo
Esta alegria que agora desperta.

Chegamos, talvez cedo de mais,
Não to posso dizer,
Pois não o sabendo, um só coisa sei,
Amar-te, sempre o farei.


Publicado por Sandro M. Gomes às 20:46
Sexta-feira, 21 de Março de 2008

As memórias não apagam a distância entre nós,
Não atenuam sequer a ausência da tua fragrância,
Fazem-me sofrer silenciosamente.

Sou completamente dominado por ti,
Entras-te na minha alma sorrateiramente,
E agora,
Agora vives lá para sempre.

Não digas que estou a ser propositado,
A minha consideração por ti
Existe na ausência de qualquer interesse profano.

Quero o teu amor, a tua presença,
Que me aquece o coração gélido,
Que me move quando vontade me falta,
Quero-te, e no fundo, sei que também me queres.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:48
Sexta-feira, 21 de Março de 2008

As memórias não apagam a distância entre nós,
Não atenuam sequer a ausência da tua fragrância,
Fazem-me sofrer silenciosamente.

Sou completamente dominado por ti,
Entras-te na minha alma sorrateiramente,
E agora,
Agora vives lá para sempre.

Não digas que estou a ser propositado,
A minha consideração por ti
Existe na ausência de qualquer interesse profano.

Quero o teu amor, a tua presença,
Que me aquece o coração gélido,
Que me move quando vontade me falta,
Quero-te, e no fundo, sei que também me queres.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:48
Sexta-feira, 21 de Março de 2008

As memórias não apagam a distância entre nós,
Não atenuam sequer a ausência da tua fragrância,
Fazem-me sofrer silenciosamente.

Sou completamente dominado por ti,
Entras-te na minha alma sorrateiramente,
E agora,
Agora vives lá para sempre.

Não digas que estou a ser propositado,
A minha consideração por ti
Existe na ausência de qualquer interesse profano.

Quero o teu amor, a tua presença,
Que me aquece o coração gélido,
Que me move quando vontade me falta,
Quero-te, e no fundo, sei que também me queres.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:48
Sexta-feira, 21 de Março de 2008

As memórias não apagam a distância entre nós,
Não atenuam sequer a ausência da tua fragrância,
Fazem-me sofrer silenciosamente.

Sou completamente dominado por ti,
Entras-te na minha alma sorrateiramente,
E agora,
Agora vives lá para sempre.

Não digas que estou a ser propositado,
A minha consideração por ti
Existe na ausência de qualquer interesse profano.

Quero o teu amor, a tua presença,
Que me aquece o coração gélido,
Que me move quando vontade me falta,
Quero-te, e no fundo, sei que também me queres.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:48
Sexta-feira, 21 de Março de 2008

As memórias não apagam a distância entre nós,
Não atenuam sequer a ausência da tua fragrância,
Fazem-me sofrer silenciosamente.

Sou completamente dominado por ti,
Entras-te na minha alma sorrateiramente,
E agora,
Agora vives lá para sempre.

Não digas que estou a ser propositado,
A minha consideração por ti
Existe na ausência de qualquer interesse profano.

Quero o teu amor, a tua presença,
Que me aquece o coração gélido,
Que me move quando vontade me falta,
Quero-te, e no fundo, sei que também me queres.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:48
Sexta-feira, 21 de Março de 2008

As memórias não apagam a distância entre nós,
Não atenuam sequer a ausência da tua fragrância,
Fazem-me sofrer silenciosamente.

Sou completamente dominado por ti,
Entras-te na minha alma sorrateiramente,
E agora,
Agora vives lá para sempre.

Não digas que estou a ser propositado,
A minha consideração por ti
Existe na ausência de qualquer interesse profano.

Quero o teu amor, a tua presença,
Que me aquece o coração gélido,
Que me move quando vontade me falta,
Quero-te, e no fundo, sei que também me queres.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:48
Sexta-feira, 21 de Março de 2008

Sinto falta.
Sinto falta da tua presença,
Sinto falta das nossas brincadeiras diárias,
Sinto falta desse teu olhar aconchegante,
Sinto falta do teu sorriso
Que no meu peito faz agitar o coração,
Sinto falta de ti, e de nada mais.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:39
Sexta-feira, 21 de Março de 2008

Sinto falta.
Sinto falta da tua presença,
Sinto falta das nossas brincadeiras diárias,
Sinto falta desse teu olhar aconchegante,
Sinto falta do teu sorriso
Que no meu peito faz agitar o coração,
Sinto falta de ti, e de nada mais.


Publicado por Sandro M. Gomes às 16:39
Uma aventura nada arriscada pelo mundo da poesia. Entra e instala-te, deixa que em ti flua, de modo sensato, o espírito e a inspiração poética.
mais sobre mim
Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
12
14
15

16
17
18
19
20
22

23
24
27
28
29

30
31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO