Quarta-feira, 21 de Maio de 2008


Ainda recordo as palavras doces que proferias
bem junto ao meu ouvido...
Lembro o sorriso largado pelos teus lábios,
As inúmeras explicações dadas
Quando não conseguias telefonar...
Ainda evoco as gargalhadas que demos juntos,
As promessas feitas...
Recordo ainda a forma como me olhavas,
Os sonhos que juntos partilhávamos,
Do amor que eu tinha para te dar...
Sinto ainda o teu perfume,
O calor que a tua pele emanava,
Sinto ainda a tua presença...
Recordo até aquela nossa canção.
Lembro-me das vezes que me olhavas
E dizias ter medo de me perder...
Lembro a minha vasta vontade
Em ver nos teus lábios um sorriso.
Recordo todas as cartas escritas
Que me faziam acordado até tarde...
Lembro as noites em branco,
Contigo na minha cabeça.
Hoje, talvez não goste de ti como dantes,
E nem tu me amas como dizias amar,
Ainda bem me lembro...



Publicado por Sandro M. Gomes às 21:55


Ainda recordo as palavras doces que proferias
bem junto ao meu ouvido...
Lembro o sorriso largado pelos teus lábios,
As inúmeras explicações dadas
Quando não conseguias telefonar...
Ainda evoco as gargalhadas que demos juntos,
As promessas feitas...
Recordo ainda a forma como me olhavas,
Os sonhos que juntos partilhávamos,
Do amor que eu tinha para te dar...
Sinto ainda o teu perfume,
O calor que a tua pele emanava,
Sinto ainda a tua presença...
Recordo até aquela nossa canção.
Lembro-me das vezes que me olhavas
E dizias ter medo de me perder...
Lembro a minha vasta vontade
Em ver nos teus lábios um sorriso.
Recordo todas as cartas escritas
Que me faziam acordado até tarde...
Lembro as noites em branco,
Contigo na minha cabeça.
Hoje, talvez não goste de ti como dantes,
E nem tu me amas como dizias amar,
Ainda bem me lembro...



Publicado por Sandro M. Gomes às 21:55


Ainda recordo as palavras doces que proferias
bem junto ao meu ouvido...
Lembro o sorriso largado pelos teus lábios,
As inúmeras explicações dadas
Quando não conseguias telefonar...
Ainda evoco as gargalhadas que demos juntos,
As promessas feitas...
Recordo ainda a forma como me olhavas,
Os sonhos que juntos partilhávamos,
Do amor que eu tinha para te dar...
Sinto ainda o teu perfume,
O calor que a tua pele emanava,
Sinto ainda a tua presença...
Recordo até aquela nossa canção.
Lembro-me das vezes que me olhavas
E dizias ter medo de me perder...
Lembro a minha vasta vontade
Em ver nos teus lábios um sorriso.
Recordo todas as cartas escritas
Que me faziam acordado até tarde...
Lembro as noites em branco,
Contigo na minha cabeça.
Hoje, talvez não goste de ti como dantes,
E nem tu me amas como dizias amar,
Ainda bem me lembro...



Publicado por Sandro M. Gomes às 21:55


Ainda recordo as palavras doces que proferias
bem junto ao meu ouvido...
Lembro o sorriso largado pelos teus lábios,
As inúmeras explicações dadas
Quando não conseguias telefonar...
Ainda evoco as gargalhadas que demos juntos,
As promessas feitas...
Recordo ainda a forma como me olhavas,
Os sonhos que juntos partilhávamos,
Do amor que eu tinha para te dar...
Sinto ainda o teu perfume,
O calor que a tua pele emanava,
Sinto ainda a tua presença...
Recordo até aquela nossa canção.
Lembro-me das vezes que me olhavas
E dizias ter medo de me perder...
Lembro a minha vasta vontade
Em ver nos teus lábios um sorriso.
Recordo todas as cartas escritas
Que me faziam acordado até tarde...
Lembro as noites em branco,
Contigo na minha cabeça.
Hoje, talvez não goste de ti como dantes,
E nem tu me amas como dizias amar,
Ainda bem me lembro...



Publicado por Sandro M. Gomes às 21:55


Ainda recordo as palavras doces que proferias
bem junto ao meu ouvido...
Lembro o sorriso largado pelos teus lábios,
As inúmeras explicações dadas
Quando não conseguias telefonar...
Ainda evoco as gargalhadas que demos juntos,
As promessas feitas...
Recordo ainda a forma como me olhavas,
Os sonhos que juntos partilhávamos,
Do amor que eu tinha para te dar...
Sinto ainda o teu perfume,
O calor que a tua pele emanava,
Sinto ainda a tua presença...
Recordo até aquela nossa canção.
Lembro-me das vezes que me olhavas
E dizias ter medo de me perder...
Lembro a minha vasta vontade
Em ver nos teus lábios um sorriso.
Recordo todas as cartas escritas
Que me faziam acordado até tarde...
Lembro as noites em branco,
Contigo na minha cabeça.
Hoje, talvez não goste de ti como dantes,
E nem tu me amas como dizias amar,
Ainda bem me lembro...



Publicado por Sandro M. Gomes às 21:55


Ainda recordo as palavras doces que proferias
bem junto ao meu ouvido...
Lembro o sorriso largado pelos teus lábios,
As inúmeras explicações dadas
Quando não conseguias telefonar...
Ainda evoco as gargalhadas que demos juntos,
As promessas feitas...
Recordo ainda a forma como me olhavas,
Os sonhos que juntos partilhávamos,
Do amor que eu tinha para te dar...
Sinto ainda o teu perfume,
O calor que a tua pele emanava,
Sinto ainda a tua presença...
Recordo até aquela nossa canção.
Lembro-me das vezes que me olhavas
E dizias ter medo de me perder...
Lembro a minha vasta vontade
Em ver nos teus lábios um sorriso.
Recordo todas as cartas escritas
Que me faziam acordado até tarde...
Lembro as noites em branco,
Contigo na minha cabeça.
Hoje, talvez não goste de ti como dantes,
E nem tu me amas como dizias amar,
Ainda bem me lembro...



Publicado por Sandro M. Gomes às 21:55


De todos os meus sentimentos,
Restam apenas mágoas e palavras nunca ditas.
Não tem mais importância, o passado,
Só interessam as memórias
De que um dia poderei amar alguém,
E enquanto houver este silêncio ensurdecedor das palavras
E o melódico som dessa música
Que em mim marcou algo importante,
Eu vou-me lembrar de tudo o que passamos
E desejar poder transformar o meu passado
Em algo, no futuro, maravilhoso de lembrar.



Publicado por Sandro M. Gomes às 20:47


De todos os meus sentimentos,
Restam apenas mágoas e palavras nunca ditas.
Não tem mais importância, o passado,
Só interessam as memórias
De que um dia poderei amar alguém,
E enquanto houver este silêncio ensurdecedor das palavras
E o melódico som dessa música
Que em mim marcou algo importante,
Eu vou-me lembrar de tudo o que passamos
E desejar poder transformar o meu passado
Em algo, no futuro, maravilhoso de lembrar.



Publicado por Sandro M. Gomes às 20:47


De todos os meus sentimentos,
Restam apenas mágoas e palavras nunca ditas.
Não tem mais importância, o passado,
Só interessam as memórias
De que um dia poderei amar alguém,
E enquanto houver este silêncio ensurdecedor das palavras
E o melódico som dessa música
Que em mim marcou algo importante,
Eu vou-me lembrar de tudo o que passamos
E desejar poder transformar o meu passado
Em algo, no futuro, maravilhoso de lembrar.



Publicado por Sandro M. Gomes às 20:47


De todos os meus sentimentos,
Restam apenas mágoas e palavras nunca ditas.
Não tem mais importância, o passado,
Só interessam as memórias
De que um dia poderei amar alguém,
E enquanto houver este silêncio ensurdecedor das palavras
E o melódico som dessa música
Que em mim marcou algo importante,
Eu vou-me lembrar de tudo o que passamos
E desejar poder transformar o meu passado
Em algo, no futuro, maravilhoso de lembrar.



Publicado por Sandro M. Gomes às 20:47


De todos os meus sentimentos,
Restam apenas mágoas e palavras nunca ditas.
Não tem mais importância, o passado,
Só interessam as memórias
De que um dia poderei amar alguém,
E enquanto houver este silêncio ensurdecedor das palavras
E o melódico som dessa música
Que em mim marcou algo importante,
Eu vou-me lembrar de tudo o que passamos
E desejar poder transformar o meu passado
Em algo, no futuro, maravilhoso de lembrar.



Publicado por Sandro M. Gomes às 20:47


De todos os meus sentimentos,
Restam apenas mágoas e palavras nunca ditas.
Não tem mais importância, o passado,
Só interessam as memórias
De que um dia poderei amar alguém,
E enquanto houver este silêncio ensurdecedor das palavras
E o melódico som dessa música
Que em mim marcou algo importante,
Eu vou-me lembrar de tudo o que passamos
E desejar poder transformar o meu passado
Em algo, no futuro, maravilhoso de lembrar.



Publicado por Sandro M. Gomes às 20:47
Uma aventura nada arriscada pelo mundo da poesia. Entra e instala-te, deixa que em ti flua, de modo sensato, o espírito e a inspiração poética.
mais sobre mim
Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
14

23



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO