Domingo, 25 de Maio de 2008


Ao fim do dia acabo sozinho, deitado,
A minha cabeça pendente, pensativa,
Pensando em ti até que ela me doa.
Sei também que estás a sofrer,
Mas que podemos eu e tu fazer,
Se em pedaços estamos…


Eu gostava de poder carregar
O teu sorriso no meu coração.
Assim, nas horas em que me sinto perdido
O teu sorriso me faria acreditar
No que o futuro se pode tornar.
A verdade é que no presente não se sabe,
Nunca se sabe…


Eu sinto-me vazio de amor…
Estou perdido, em ruas obscuras.
Agora sei que estavas certa,
Acreditei demasiado tempo, e agora…
Estou vazio, sou um ser mórbido.
Afinal o que sou sem ti?
Não acredito que seja tarde demais
Para te dizer que estava completamente errado.


Quero ter-te de volta,
Que me leves para tua casa.
Para bem longe destas longas noites solitárias…
Estou à tua procura.
Também sentes?
Será este sentimento verdadeiro?


O que me dirias se te telefonasse agora mesmo?
E se te dissesse que posso esperar eternamente?
Nada está fácil, e a cada dia se complica mais…
Por favor, ama-me ou eu morrerei.
Vou morrer, se vivo ainda estiver…


Foto by Ruben Andrade



Publicado por Sandro M. Gomes às 20:24


Ao fim do dia acabo sozinho, deitado,
A minha cabeça pendente, pensativa,
Pensando em ti até que ela me doa.
Sei também que estás a sofrer,
Mas que podemos eu e tu fazer,
Se em pedaços estamos…


Eu gostava de poder carregar
O teu sorriso no meu coração.
Assim, nas horas em que me sinto perdido
O teu sorriso me faria acreditar
No que o futuro se pode tornar.
A verdade é que no presente não se sabe,
Nunca se sabe…


Eu sinto-me vazio de amor…
Estou perdido, em ruas obscuras.
Agora sei que estavas certa,
Acreditei demasiado tempo, e agora…
Estou vazio, sou um ser mórbido.
Afinal o que sou sem ti?
Não acredito que seja tarde demais
Para te dizer que estava completamente errado.


Quero ter-te de volta,
Que me leves para tua casa.
Para bem longe destas longas noites solitárias…
Estou à tua procura.
Também sentes?
Será este sentimento verdadeiro?


O que me dirias se te telefonasse agora mesmo?
E se te dissesse que posso esperar eternamente?
Nada está fácil, e a cada dia se complica mais…
Por favor, ama-me ou eu morrerei.
Vou morrer, se vivo ainda estiver…


Foto by Ruben Andrade



Publicado por Sandro M. Gomes às 20:24


Ao fim do dia acabo sozinho, deitado,
A minha cabeça pendente, pensativa,
Pensando em ti até que ela me doa.
Sei também que estás a sofrer,
Mas que podemos eu e tu fazer,
Se em pedaços estamos…


Eu gostava de poder carregar
O teu sorriso no meu coração.
Assim, nas horas em que me sinto perdido
O teu sorriso me faria acreditar
No que o futuro se pode tornar.
A verdade é que no presente não se sabe,
Nunca se sabe…


Eu sinto-me vazio de amor…
Estou perdido, em ruas obscuras.
Agora sei que estavas certa,
Acreditei demasiado tempo, e agora…
Estou vazio, sou um ser mórbido.
Afinal o que sou sem ti?
Não acredito que seja tarde demais
Para te dizer que estava completamente errado.


Quero ter-te de volta,
Que me leves para tua casa.
Para bem longe destas longas noites solitárias…
Estou à tua procura.
Também sentes?
Será este sentimento verdadeiro?


O que me dirias se te telefonasse agora mesmo?
E se te dissesse que posso esperar eternamente?
Nada está fácil, e a cada dia se complica mais…
Por favor, ama-me ou eu morrerei.
Vou morrer, se vivo ainda estiver…


Foto by Ruben Andrade



Publicado por Sandro M. Gomes às 20:24


Ao fim do dia acabo sozinho, deitado,
A minha cabeça pendente, pensativa,
Pensando em ti até que ela me doa.
Sei também que estás a sofrer,
Mas que podemos eu e tu fazer,
Se em pedaços estamos…


Eu gostava de poder carregar
O teu sorriso no meu coração.
Assim, nas horas em que me sinto perdido
O teu sorriso me faria acreditar
No que o futuro se pode tornar.
A verdade é que no presente não se sabe,
Nunca se sabe…


Eu sinto-me vazio de amor…
Estou perdido, em ruas obscuras.
Agora sei que estavas certa,
Acreditei demasiado tempo, e agora…
Estou vazio, sou um ser mórbido.
Afinal o que sou sem ti?
Não acredito que seja tarde demais
Para te dizer que estava completamente errado.


Quero ter-te de volta,
Que me leves para tua casa.
Para bem longe destas longas noites solitárias…
Estou à tua procura.
Também sentes?
Será este sentimento verdadeiro?


O que me dirias se te telefonasse agora mesmo?
E se te dissesse que posso esperar eternamente?
Nada está fácil, e a cada dia se complica mais…
Por favor, ama-me ou eu morrerei.
Vou morrer, se vivo ainda estiver…


Foto by Ruben Andrade



Publicado por Sandro M. Gomes às 20:24


Ao fim do dia acabo sozinho, deitado,
A minha cabeça pendente, pensativa,
Pensando em ti até que ela me doa.
Sei também que estás a sofrer,
Mas que podemos eu e tu fazer,
Se em pedaços estamos…


Eu gostava de poder carregar
O teu sorriso no meu coração.
Assim, nas horas em que me sinto perdido
O teu sorriso me faria acreditar
No que o futuro se pode tornar.
A verdade é que no presente não se sabe,
Nunca se sabe…


Eu sinto-me vazio de amor…
Estou perdido, em ruas obscuras.
Agora sei que estavas certa,
Acreditei demasiado tempo, e agora…
Estou vazio, sou um ser mórbido.
Afinal o que sou sem ti?
Não acredito que seja tarde demais
Para te dizer que estava completamente errado.


Quero ter-te de volta,
Que me leves para tua casa.
Para bem longe destas longas noites solitárias…
Estou à tua procura.
Também sentes?
Será este sentimento verdadeiro?


O que me dirias se te telefonasse agora mesmo?
E se te dissesse que posso esperar eternamente?
Nada está fácil, e a cada dia se complica mais…
Por favor, ama-me ou eu morrerei.
Vou morrer, se vivo ainda estiver…


Foto by Ruben Andrade



Publicado por Sandro M. Gomes às 20:24


Ao fim do dia acabo sozinho, deitado,
A minha cabeça pendente, pensativa,
Pensando em ti até que ela me doa.
Sei também que estás a sofrer,
Mas que podemos eu e tu fazer,
Se em pedaços estamos…


Eu gostava de poder carregar
O teu sorriso no meu coração.
Assim, nas horas em que me sinto perdido
O teu sorriso me faria acreditar
No que o futuro se pode tornar.
A verdade é que no presente não se sabe,
Nunca se sabe…


Eu sinto-me vazio de amor…
Estou perdido, em ruas obscuras.
Agora sei que estavas certa,
Acreditei demasiado tempo, e agora…
Estou vazio, sou um ser mórbido.
Afinal o que sou sem ti?
Não acredito que seja tarde demais
Para te dizer que estava completamente errado.


Quero ter-te de volta,
Que me leves para tua casa.
Para bem longe destas longas noites solitárias…
Estou à tua procura.
Também sentes?
Será este sentimento verdadeiro?


O que me dirias se te telefonasse agora mesmo?
E se te dissesse que posso esperar eternamente?
Nada está fácil, e a cada dia se complica mais…
Por favor, ama-me ou eu morrerei.
Vou morrer, se vivo ainda estiver…


Foto by Ruben Andrade



Publicado por Sandro M. Gomes às 20:24
Uma aventura nada arriscada pelo mundo da poesia. Entra e instala-te, deixa que em ti flua, de modo sensato, o espírito e a inspiração poética.
mais sobre mim
Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
14

23



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO