Segunda-feira, 02 de Junho de 2008


Foste embora sem dizer “Adeus”,
Partiste e o meu coração enegreceu.
Nem um sorriso final, um olhar,
Nada para além das saudades que sinto.


Desde esse dia não sou o mesmo,
Não respiro da mesma forma,
Não vivo sequer.
Sobrevivo, e com dificuldades.


Que importa o amor que damos,
A ternura que demonstramos,
A ajuda infinita que oferecemos,
Se tudo acaba por terminar.


Fica o sentimento de dever cumprido,
O gosto de ter amado.
O sabor da vida inalcançável,
O prazer de ter, contigo, vivido.


Agora…
Agora é tempo de seguir…
Voltar a viver, renascer…



Publicado por Sandro M. Gomes às 18:25


Foste embora sem dizer “Adeus”,
Partiste e o meu coração enegreceu.
Nem um sorriso final, um olhar,
Nada para além das saudades que sinto.


Desde esse dia não sou o mesmo,
Não respiro da mesma forma,
Não vivo sequer.
Sobrevivo, e com dificuldades.


Que importa o amor que damos,
A ternura que demonstramos,
A ajuda infinita que oferecemos,
Se tudo acaba por terminar.


Fica o sentimento de dever cumprido,
O gosto de ter amado.
O sabor da vida inalcançável,
O prazer de ter, contigo, vivido.


Agora…
Agora é tempo de seguir…
Voltar a viver, renascer…



Publicado por Sandro M. Gomes às 18:25


Foste embora sem dizer “Adeus”,
Partiste e o meu coração enegreceu.
Nem um sorriso final, um olhar,
Nada para além das saudades que sinto.


Desde esse dia não sou o mesmo,
Não respiro da mesma forma,
Não vivo sequer.
Sobrevivo, e com dificuldades.


Que importa o amor que damos,
A ternura que demonstramos,
A ajuda infinita que oferecemos,
Se tudo acaba por terminar.


Fica o sentimento de dever cumprido,
O gosto de ter amado.
O sabor da vida inalcançável,
O prazer de ter, contigo, vivido.


Agora…
Agora é tempo de seguir…
Voltar a viver, renascer…



Publicado por Sandro M. Gomes às 18:25


Foste embora sem dizer “Adeus”,
Partiste e o meu coração enegreceu.
Nem um sorriso final, um olhar,
Nada para além das saudades que sinto.


Desde esse dia não sou o mesmo,
Não respiro da mesma forma,
Não vivo sequer.
Sobrevivo, e com dificuldades.


Que importa o amor que damos,
A ternura que demonstramos,
A ajuda infinita que oferecemos,
Se tudo acaba por terminar.


Fica o sentimento de dever cumprido,
O gosto de ter amado.
O sabor da vida inalcançável,
O prazer de ter, contigo, vivido.


Agora…
Agora é tempo de seguir…
Voltar a viver, renascer…



Publicado por Sandro M. Gomes às 18:25


Foste embora sem dizer “Adeus”,
Partiste e o meu coração enegreceu.
Nem um sorriso final, um olhar,
Nada para além das saudades que sinto.


Desde esse dia não sou o mesmo,
Não respiro da mesma forma,
Não vivo sequer.
Sobrevivo, e com dificuldades.


Que importa o amor que damos,
A ternura que demonstramos,
A ajuda infinita que oferecemos,
Se tudo acaba por terminar.


Fica o sentimento de dever cumprido,
O gosto de ter amado.
O sabor da vida inalcançável,
O prazer de ter, contigo, vivido.


Agora…
Agora é tempo de seguir…
Voltar a viver, renascer…



Publicado por Sandro M. Gomes às 18:25


Foste embora sem dizer “Adeus”,
Partiste e o meu coração enegreceu.
Nem um sorriso final, um olhar,
Nada para além das saudades que sinto.


Desde esse dia não sou o mesmo,
Não respiro da mesma forma,
Não vivo sequer.
Sobrevivo, e com dificuldades.


Que importa o amor que damos,
A ternura que demonstramos,
A ajuda infinita que oferecemos,
Se tudo acaba por terminar.


Fica o sentimento de dever cumprido,
O gosto de ter amado.
O sabor da vida inalcançável,
O prazer de ter, contigo, vivido.


Agora…
Agora é tempo de seguir…
Voltar a viver, renascer…



Publicado por Sandro M. Gomes às 18:25
Uma aventura nada arriscada pelo mundo da poesia. Entra e instala-te, deixa que em ti flua, de modo sensato, o espírito e a inspiração poética.
mais sobre mim
Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
19
20

22



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO