Terça-feira, 17 de Junho de 2008


Noites em claro,
Um vai e vem à luz do luar,
Na cabeça tem lugar o pensamento,
No exterior tudo parece bizarro.

Não sei se sinto já…
Julgo até que só pressinto.
Já nada me atrai neste lugar,
Preciso de ir mais longe, voar…

Os lobos uivam na noite escura e silenciosa,
Não me provocam qualquer sinal de medo.
Continuo a escrever…
Como o fazia antes e como o continuarei a fazer.

Enfim, habito neste meu espaço medíocre,
Dentro de versos que inventei
Nestas noites que passo em claro,
Depositando na lua todo o meu amor.


Publicado por Sandro M. Gomes às 20:06


Noites em claro,
Um vai e vem à luz do luar,
Na cabeça tem lugar o pensamento,
No exterior tudo parece bizarro.

Não sei se sinto já…
Julgo até que só pressinto.
Já nada me atrai neste lugar,
Preciso de ir mais longe, voar…

Os lobos uivam na noite escura e silenciosa,
Não me provocam qualquer sinal de medo.
Continuo a escrever…
Como o fazia antes e como o continuarei a fazer.

Enfim, habito neste meu espaço medíocre,
Dentro de versos que inventei
Nestas noites que passo em claro,
Depositando na lua todo o meu amor.


Publicado por Sandro M. Gomes às 20:06


Noites em claro,
Um vai e vem à luz do luar,
Na cabeça tem lugar o pensamento,
No exterior tudo parece bizarro.

Não sei se sinto já…
Julgo até que só pressinto.
Já nada me atrai neste lugar,
Preciso de ir mais longe, voar…

Os lobos uivam na noite escura e silenciosa,
Não me provocam qualquer sinal de medo.
Continuo a escrever…
Como o fazia antes e como o continuarei a fazer.

Enfim, habito neste meu espaço medíocre,
Dentro de versos que inventei
Nestas noites que passo em claro,
Depositando na lua todo o meu amor.


Publicado por Sandro M. Gomes às 20:06


Noites em claro,
Um vai e vem à luz do luar,
Na cabeça tem lugar o pensamento,
No exterior tudo parece bizarro.

Não sei se sinto já…
Julgo até que só pressinto.
Já nada me atrai neste lugar,
Preciso de ir mais longe, voar…

Os lobos uivam na noite escura e silenciosa,
Não me provocam qualquer sinal de medo.
Continuo a escrever…
Como o fazia antes e como o continuarei a fazer.

Enfim, habito neste meu espaço medíocre,
Dentro de versos que inventei
Nestas noites que passo em claro,
Depositando na lua todo o meu amor.


Publicado por Sandro M. Gomes às 20:06


Noites em claro,
Um vai e vem à luz do luar,
Na cabeça tem lugar o pensamento,
No exterior tudo parece bizarro.

Não sei se sinto já…
Julgo até que só pressinto.
Já nada me atrai neste lugar,
Preciso de ir mais longe, voar…

Os lobos uivam na noite escura e silenciosa,
Não me provocam qualquer sinal de medo.
Continuo a escrever…
Como o fazia antes e como o continuarei a fazer.

Enfim, habito neste meu espaço medíocre,
Dentro de versos que inventei
Nestas noites que passo em claro,
Depositando na lua todo o meu amor.


Publicado por Sandro M. Gomes às 20:06


Noites em claro,
Um vai e vem à luz do luar,
Na cabeça tem lugar o pensamento,
No exterior tudo parece bizarro.

Não sei se sinto já…
Julgo até que só pressinto.
Já nada me atrai neste lugar,
Preciso de ir mais longe, voar…

Os lobos uivam na noite escura e silenciosa,
Não me provocam qualquer sinal de medo.
Continuo a escrever…
Como o fazia antes e como o continuarei a fazer.

Enfim, habito neste meu espaço medíocre,
Dentro de versos que inventei
Nestas noites que passo em claro,
Depositando na lua todo o meu amor.


Publicado por Sandro M. Gomes às 20:06
Uma aventura nada arriscada pelo mundo da poesia. Entra e instala-te, deixa que em ti flua, de modo sensato, o espírito e a inspiração poética.
mais sobre mim
Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
19
20

22



pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO