Terça-feira, 08 de Julho de 2008

Não percebo…
Fiz um esforço enorme,
Mas continuo sem nada perceber.
Chego até a pensar em desistir.

Não percebo se és Verão ou Inverno,
Água ou fogo, Amor ou Sofrimento…
Não… nada me ocorre agora
Que possa explicar tanta incompreensão.

É como se tudo fosse um só,
Onde parte alguma se torna indistinguível.
No meio de tudo isto
Nada consigo perceber e escolher…

É como se o fim tenha chegado ao principio,
Uma regressão que tudo apagou…
Em mim só restam, marcadas,
Estas dores de alma, de tanto amar.


Publicado por Sandro M. Gomes às 21:03

Não percebo…
Fiz um esforço enorme,
Mas continuo sem nada perceber.
Chego até a pensar em desistir.

Não percebo se és Verão ou Inverno,
Água ou fogo, Amor ou Sofrimento…
Não… nada me ocorre agora
Que possa explicar tanta incompreensão.

É como se tudo fosse um só,
Onde parte alguma se torna indistinguível.
No meio de tudo isto
Nada consigo perceber e escolher…

É como se o fim tenha chegado ao principio,
Uma regressão que tudo apagou…
Em mim só restam, marcadas,
Estas dores de alma, de tanto amar.


Publicado por Sandro M. Gomes às 21:03

Não percebo…
Fiz um esforço enorme,
Mas continuo sem nada perceber.
Chego até a pensar em desistir.

Não percebo se és Verão ou Inverno,
Água ou fogo, Amor ou Sofrimento…
Não… nada me ocorre agora
Que possa explicar tanta incompreensão.

É como se tudo fosse um só,
Onde parte alguma se torna indistinguível.
No meio de tudo isto
Nada consigo perceber e escolher…

É como se o fim tenha chegado ao principio,
Uma regressão que tudo apagou…
Em mim só restam, marcadas,
Estas dores de alma, de tanto amar.


Publicado por Sandro M. Gomes às 21:03

Não percebo…
Fiz um esforço enorme,
Mas continuo sem nada perceber.
Chego até a pensar em desistir.

Não percebo se és Verão ou Inverno,
Água ou fogo, Amor ou Sofrimento…
Não… nada me ocorre agora
Que possa explicar tanta incompreensão.

É como se tudo fosse um só,
Onde parte alguma se torna indistinguível.
No meio de tudo isto
Nada consigo perceber e escolher…

É como se o fim tenha chegado ao principio,
Uma regressão que tudo apagou…
Em mim só restam, marcadas,
Estas dores de alma, de tanto amar.


Publicado por Sandro M. Gomes às 21:03

Não percebo…
Fiz um esforço enorme,
Mas continuo sem nada perceber.
Chego até a pensar em desistir.

Não percebo se és Verão ou Inverno,
Água ou fogo, Amor ou Sofrimento…
Não… nada me ocorre agora
Que possa explicar tanta incompreensão.

É como se tudo fosse um só,
Onde parte alguma se torna indistinguível.
No meio de tudo isto
Nada consigo perceber e escolher…

É como se o fim tenha chegado ao principio,
Uma regressão que tudo apagou…
Em mim só restam, marcadas,
Estas dores de alma, de tanto amar.


Publicado por Sandro M. Gomes às 21:03

Não percebo…
Fiz um esforço enorme,
Mas continuo sem nada perceber.
Chego até a pensar em desistir.

Não percebo se és Verão ou Inverno,
Água ou fogo, Amor ou Sofrimento…
Não… nada me ocorre agora
Que possa explicar tanta incompreensão.

É como se tudo fosse um só,
Onde parte alguma se torna indistinguível.
No meio de tudo isto
Nada consigo perceber e escolher…

É como se o fim tenha chegado ao principio,
Uma regressão que tudo apagou…
Em mim só restam, marcadas,
Estas dores de alma, de tanto amar.


Publicado por Sandro M. Gomes às 21:03

Como amar e não sofrer?
Constante incerteza esta,
Sabendo que devemos ser amados e amar.
Para evitar sofrimentos
Neste amor com fundamentos,
Tem que existir uma dupla correspondência.
Não desejamos um amor sofrido,
De modo a que, o nosso coração,
Seja despedaçado, pois sofrendo emoções várias,
Ficamos completamente desequilibrados.

Amar e não sofrer acaba por ser fácil
Quando, entre os dois, existe amor verdadeiro.
Ambos os lados estarão satisfeitos e
Felizes, sem sofrimento e dor.

Para amar e não sofrer,
Devemos amar a pessoa certa,
Aquela que, no nosso coração,
Tem, para nós, uma porta sempre aberta.
Aí sim, a certeza é uma só:
Vamos amar e não sofrer!


Publicado por Sandro M. Gomes às 17:50

Como amar e não sofrer?
Constante incerteza esta,
Sabendo que devemos ser amados e amar.
Para evitar sofrimentos
Neste amor com fundamentos,
Tem que existir uma dupla correspondência.
Não desejamos um amor sofrido,
De modo a que, o nosso coração,
Seja despedaçado, pois sofrendo emoções várias,
Ficamos completamente desequilibrados.

Amar e não sofrer acaba por ser fácil
Quando, entre os dois, existe amor verdadeiro.
Ambos os lados estarão satisfeitos e
Felizes, sem sofrimento e dor.

Para amar e não sofrer,
Devemos amar a pessoa certa,
Aquela que, no nosso coração,
Tem, para nós, uma porta sempre aberta.
Aí sim, a certeza é uma só:
Vamos amar e não sofrer!


Publicado por Sandro M. Gomes às 17:50

Como amar e não sofrer?
Constante incerteza esta,
Sabendo que devemos ser amados e amar.
Para evitar sofrimentos
Neste amor com fundamentos,
Tem que existir uma dupla correspondência.
Não desejamos um amor sofrido,
De modo a que, o nosso coração,
Seja despedaçado, pois sofrendo emoções várias,
Ficamos completamente desequilibrados.

Amar e não sofrer acaba por ser fácil
Quando, entre os dois, existe amor verdadeiro.
Ambos os lados estarão satisfeitos e
Felizes, sem sofrimento e dor.

Para amar e não sofrer,
Devemos amar a pessoa certa,
Aquela que, no nosso coração,
Tem, para nós, uma porta sempre aberta.
Aí sim, a certeza é uma só:
Vamos amar e não sofrer!


Publicado por Sandro M. Gomes às 17:50

Como amar e não sofrer?
Constante incerteza esta,
Sabendo que devemos ser amados e amar.
Para evitar sofrimentos
Neste amor com fundamentos,
Tem que existir uma dupla correspondência.
Não desejamos um amor sofrido,
De modo a que, o nosso coração,
Seja despedaçado, pois sofrendo emoções várias,
Ficamos completamente desequilibrados.

Amar e não sofrer acaba por ser fácil
Quando, entre os dois, existe amor verdadeiro.
Ambos os lados estarão satisfeitos e
Felizes, sem sofrimento e dor.

Para amar e não sofrer,
Devemos amar a pessoa certa,
Aquela que, no nosso coração,
Tem, para nós, uma porta sempre aberta.
Aí sim, a certeza é uma só:
Vamos amar e não sofrer!


Publicado por Sandro M. Gomes às 17:50

Como amar e não sofrer?
Constante incerteza esta,
Sabendo que devemos ser amados e amar.
Para evitar sofrimentos
Neste amor com fundamentos,
Tem que existir uma dupla correspondência.
Não desejamos um amor sofrido,
De modo a que, o nosso coração,
Seja despedaçado, pois sofrendo emoções várias,
Ficamos completamente desequilibrados.

Amar e não sofrer acaba por ser fácil
Quando, entre os dois, existe amor verdadeiro.
Ambos os lados estarão satisfeitos e
Felizes, sem sofrimento e dor.

Para amar e não sofrer,
Devemos amar a pessoa certa,
Aquela que, no nosso coração,
Tem, para nós, uma porta sempre aberta.
Aí sim, a certeza é uma só:
Vamos amar e não sofrer!


Publicado por Sandro M. Gomes às 17:50

Como amar e não sofrer?
Constante incerteza esta,
Sabendo que devemos ser amados e amar.
Para evitar sofrimentos
Neste amor com fundamentos,
Tem que existir uma dupla correspondência.
Não desejamos um amor sofrido,
De modo a que, o nosso coração,
Seja despedaçado, pois sofrendo emoções várias,
Ficamos completamente desequilibrados.

Amar e não sofrer acaba por ser fácil
Quando, entre os dois, existe amor verdadeiro.
Ambos os lados estarão satisfeitos e
Felizes, sem sofrimento e dor.

Para amar e não sofrer,
Devemos amar a pessoa certa,
Aquela que, no nosso coração,
Tem, para nós, uma porta sempre aberta.
Aí sim, a certeza é uma só:
Vamos amar e não sofrer!


Publicado por Sandro M. Gomes às 17:50
Uma aventura nada arriscada pelo mundo da poesia. Entra e instala-te, deixa que em ti flua, de modo sensato, o espírito e a inspiração poética.
mais sobre mim
Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13
14
15

20
21
23
25
26

30


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO