Quarta-feira, 09 de Julho de 2008

Procuro nesses teus olhos
O sabor do vento,
O (em)canto das aves,
O encanto da vida,
O prazer absoluto, pleno.

Procuro os teus belos seios,
Os lábios…
As curvas colossais
Que culminam em doces gritos
Que me levam ao infinito,
Ao amor, quente,
Ao sonho, belo,
À realidade, fria.
Nesse corpo que vibra de ansiedade
Quando te procuro…

Amar-te…
É fruir a vida,
É sentir-te, especialmente,
Só minha…


Publicado por Sandro M. Gomes às 19:28

Procuro nesses teus olhos
O sabor do vento,
O (em)canto das aves,
O encanto da vida,
O prazer absoluto, pleno.

Procuro os teus belos seios,
Os lábios…
As curvas colossais
Que culminam em doces gritos
Que me levam ao infinito,
Ao amor, quente,
Ao sonho, belo,
À realidade, fria.
Nesse corpo que vibra de ansiedade
Quando te procuro…

Amar-te…
É fruir a vida,
É sentir-te, especialmente,
Só minha…


Publicado por Sandro M. Gomes às 19:28

Procuro nesses teus olhos
O sabor do vento,
O (em)canto das aves,
O encanto da vida,
O prazer absoluto, pleno.

Procuro os teus belos seios,
Os lábios…
As curvas colossais
Que culminam em doces gritos
Que me levam ao infinito,
Ao amor, quente,
Ao sonho, belo,
À realidade, fria.
Nesse corpo que vibra de ansiedade
Quando te procuro…

Amar-te…
É fruir a vida,
É sentir-te, especialmente,
Só minha…


Publicado por Sandro M. Gomes às 19:28

Procuro nesses teus olhos
O sabor do vento,
O (em)canto das aves,
O encanto da vida,
O prazer absoluto, pleno.

Procuro os teus belos seios,
Os lábios…
As curvas colossais
Que culminam em doces gritos
Que me levam ao infinito,
Ao amor, quente,
Ao sonho, belo,
À realidade, fria.
Nesse corpo que vibra de ansiedade
Quando te procuro…

Amar-te…
É fruir a vida,
É sentir-te, especialmente,
Só minha…


Publicado por Sandro M. Gomes às 19:28

Procuro nesses teus olhos
O sabor do vento,
O (em)canto das aves,
O encanto da vida,
O prazer absoluto, pleno.

Procuro os teus belos seios,
Os lábios…
As curvas colossais
Que culminam em doces gritos
Que me levam ao infinito,
Ao amor, quente,
Ao sonho, belo,
À realidade, fria.
Nesse corpo que vibra de ansiedade
Quando te procuro…

Amar-te…
É fruir a vida,
É sentir-te, especialmente,
Só minha…


Publicado por Sandro M. Gomes às 19:28

Procuro nesses teus olhos
O sabor do vento,
O (em)canto das aves,
O encanto da vida,
O prazer absoluto, pleno.

Procuro os teus belos seios,
Os lábios…
As curvas colossais
Que culminam em doces gritos
Que me levam ao infinito,
Ao amor, quente,
Ao sonho, belo,
À realidade, fria.
Nesse corpo que vibra de ansiedade
Quando te procuro…

Amar-te…
É fruir a vida,
É sentir-te, especialmente,
Só minha…


Publicado por Sandro M. Gomes às 19:28

Tudo é inconstante…
Tudo está bem, tudo está mal,
Desconheço até o estado actual.
É bem triste ser um amante.

“Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,”
Eu vejo estas mudanças diversas vezes
Durante o dia, onde tudo se vai tornando
Irreconhecível, amorfo, sombrio…

Não encontro solução para este problema,
Não é fácil pensar, desta forma.
É ver tudo passar e acabar,
E nada poder fazer para parar esta mudança.

Quem me dera fugir, correr, voar…
Ocultar-me por entre as nuvens
E, quando tudo isto passar, de vez,
Renascer e amar tudo de novo!


Publicado por Sandro M. Gomes às 15:16

Tudo é inconstante…
Tudo está bem, tudo está mal,
Desconheço até o estado actual.
É bem triste ser um amante.

“Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,”
Eu vejo estas mudanças diversas vezes
Durante o dia, onde tudo se vai tornando
Irreconhecível, amorfo, sombrio…

Não encontro solução para este problema,
Não é fácil pensar, desta forma.
É ver tudo passar e acabar,
E nada poder fazer para parar esta mudança.

Quem me dera fugir, correr, voar…
Ocultar-me por entre as nuvens
E, quando tudo isto passar, de vez,
Renascer e amar tudo de novo!


Publicado por Sandro M. Gomes às 15:16

Tudo é inconstante…
Tudo está bem, tudo está mal,
Desconheço até o estado actual.
É bem triste ser um amante.

“Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,”
Eu vejo estas mudanças diversas vezes
Durante o dia, onde tudo se vai tornando
Irreconhecível, amorfo, sombrio…

Não encontro solução para este problema,
Não é fácil pensar, desta forma.
É ver tudo passar e acabar,
E nada poder fazer para parar esta mudança.

Quem me dera fugir, correr, voar…
Ocultar-me por entre as nuvens
E, quando tudo isto passar, de vez,
Renascer e amar tudo de novo!


Publicado por Sandro M. Gomes às 15:16

Tudo é inconstante…
Tudo está bem, tudo está mal,
Desconheço até o estado actual.
É bem triste ser um amante.

“Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,”
Eu vejo estas mudanças diversas vezes
Durante o dia, onde tudo se vai tornando
Irreconhecível, amorfo, sombrio…

Não encontro solução para este problema,
Não é fácil pensar, desta forma.
É ver tudo passar e acabar,
E nada poder fazer para parar esta mudança.

Quem me dera fugir, correr, voar…
Ocultar-me por entre as nuvens
E, quando tudo isto passar, de vez,
Renascer e amar tudo de novo!


Publicado por Sandro M. Gomes às 15:16

Tudo é inconstante…
Tudo está bem, tudo está mal,
Desconheço até o estado actual.
É bem triste ser um amante.

“Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,”
Eu vejo estas mudanças diversas vezes
Durante o dia, onde tudo se vai tornando
Irreconhecível, amorfo, sombrio…

Não encontro solução para este problema,
Não é fácil pensar, desta forma.
É ver tudo passar e acabar,
E nada poder fazer para parar esta mudança.

Quem me dera fugir, correr, voar…
Ocultar-me por entre as nuvens
E, quando tudo isto passar, de vez,
Renascer e amar tudo de novo!


Publicado por Sandro M. Gomes às 15:16

Tudo é inconstante…
Tudo está bem, tudo está mal,
Desconheço até o estado actual.
É bem triste ser um amante.

“Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,”
Eu vejo estas mudanças diversas vezes
Durante o dia, onde tudo se vai tornando
Irreconhecível, amorfo, sombrio…

Não encontro solução para este problema,
Não é fácil pensar, desta forma.
É ver tudo passar e acabar,
E nada poder fazer para parar esta mudança.

Quem me dera fugir, correr, voar…
Ocultar-me por entre as nuvens
E, quando tudo isto passar, de vez,
Renascer e amar tudo de novo!


Publicado por Sandro M. Gomes às 15:16
Uma aventura nada arriscada pelo mundo da poesia. Entra e instala-te, deixa que em ti flua, de modo sensato, o espírito e a inspiração poética.
mais sobre mim
Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13
14
15

20
21
23
25
26

30


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO