Domingo, 10 de Agosto de 2008

Já bastante longe vai o tempo
Em que tocar-te era a luz do meu dia,
Mais longe ainda, o cheiro que sentia…

Infelizmente não passam de recordações,
Deste mundo em constantes mudanças!

Saudades de tocar-te, de abraçar-te, de beijar-te…
Saudades das palavras que trocámos com emoção.
Palavras repetidas e já bastante gastas de tanto lembrar…
Tão inocentes e ateadas por tanto amor.
Tudo acabou… tudo se desvaneceu… tudo se foi!!

Se arrependimento matasse…
Estaria eu já enterrado.
É desta forma que me sinto
Sempre que em ti penso, angustiado!

Prossigo com esta vida vulgar
Mas guardando no meu coração o teu lugar!

Viva o tempo que viver…
Estarei sempre à tua espera.
E por arrependimento, sofro por esta fantasia!


Publicado por Sandro M. Gomes às 17:35

Já bastante longe vai o tempo
Em que tocar-te era a luz do meu dia,
Mais longe ainda, o cheiro que sentia…

Infelizmente não passam de recordações,
Deste mundo em constantes mudanças!

Saudades de tocar-te, de abraçar-te, de beijar-te…
Saudades das palavras que trocámos com emoção.
Palavras repetidas e já bastante gastas de tanto lembrar…
Tão inocentes e ateadas por tanto amor.
Tudo acabou… tudo se desvaneceu… tudo se foi!!

Se arrependimento matasse…
Estaria eu já enterrado.
É desta forma que me sinto
Sempre que em ti penso, angustiado!

Prossigo com esta vida vulgar
Mas guardando no meu coração o teu lugar!

Viva o tempo que viver…
Estarei sempre à tua espera.
E por arrependimento, sofro por esta fantasia!


Publicado por Sandro M. Gomes às 17:35

Já bastante longe vai o tempo
Em que tocar-te era a luz do meu dia,
Mais longe ainda, o cheiro que sentia…

Infelizmente não passam de recordações,
Deste mundo em constantes mudanças!

Saudades de tocar-te, de abraçar-te, de beijar-te…
Saudades das palavras que trocámos com emoção.
Palavras repetidas e já bastante gastas de tanto lembrar…
Tão inocentes e ateadas por tanto amor.
Tudo acabou… tudo se desvaneceu… tudo se foi!!

Se arrependimento matasse…
Estaria eu já enterrado.
É desta forma que me sinto
Sempre que em ti penso, angustiado!

Prossigo com esta vida vulgar
Mas guardando no meu coração o teu lugar!

Viva o tempo que viver…
Estarei sempre à tua espera.
E por arrependimento, sofro por esta fantasia!


Publicado por Sandro M. Gomes às 17:35

Já bastante longe vai o tempo
Em que tocar-te era a luz do meu dia,
Mais longe ainda, o cheiro que sentia…

Infelizmente não passam de recordações,
Deste mundo em constantes mudanças!

Saudades de tocar-te, de abraçar-te, de beijar-te…
Saudades das palavras que trocámos com emoção.
Palavras repetidas e já bastante gastas de tanto lembrar…
Tão inocentes e ateadas por tanto amor.
Tudo acabou… tudo se desvaneceu… tudo se foi!!

Se arrependimento matasse…
Estaria eu já enterrado.
É desta forma que me sinto
Sempre que em ti penso, angustiado!

Prossigo com esta vida vulgar
Mas guardando no meu coração o teu lugar!

Viva o tempo que viver…
Estarei sempre à tua espera.
E por arrependimento, sofro por esta fantasia!


Publicado por Sandro M. Gomes às 17:35

Já bastante longe vai o tempo
Em que tocar-te era a luz do meu dia,
Mais longe ainda, o cheiro que sentia…

Infelizmente não passam de recordações,
Deste mundo em constantes mudanças!

Saudades de tocar-te, de abraçar-te, de beijar-te…
Saudades das palavras que trocámos com emoção.
Palavras repetidas e já bastante gastas de tanto lembrar…
Tão inocentes e ateadas por tanto amor.
Tudo acabou… tudo se desvaneceu… tudo se foi!!

Se arrependimento matasse…
Estaria eu já enterrado.
É desta forma que me sinto
Sempre que em ti penso, angustiado!

Prossigo com esta vida vulgar
Mas guardando no meu coração o teu lugar!

Viva o tempo que viver…
Estarei sempre à tua espera.
E por arrependimento, sofro por esta fantasia!


Publicado por Sandro M. Gomes às 17:35

Já bastante longe vai o tempo
Em que tocar-te era a luz do meu dia,
Mais longe ainda, o cheiro que sentia…

Infelizmente não passam de recordações,
Deste mundo em constantes mudanças!

Saudades de tocar-te, de abraçar-te, de beijar-te…
Saudades das palavras que trocámos com emoção.
Palavras repetidas e já bastante gastas de tanto lembrar…
Tão inocentes e ateadas por tanto amor.
Tudo acabou… tudo se desvaneceu… tudo se foi!!

Se arrependimento matasse…
Estaria eu já enterrado.
É desta forma que me sinto
Sempre que em ti penso, angustiado!

Prossigo com esta vida vulgar
Mas guardando no meu coração o teu lugar!

Viva o tempo que viver…
Estarei sempre à tua espera.
E por arrependimento, sofro por esta fantasia!


Publicado por Sandro M. Gomes às 17:35
Uma aventura nada arriscada pelo mundo da poesia. Entra e instala-te, deixa que em ti flua, de modo sensato, o espírito e a inspiração poética.
mais sobre mim
Agosto 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
15
16

17
18
20
21
22
23

24
25
27
28
29
30

31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO