Domingo, 12 de Outubro de 2008

Devagar...
Lá de baixo ninguém nos vê!
Digo, com segurança, que:
Agora nós estamos sozinhos…

Nem um pequeno sussurro,
O único barulho é o dos nossos corações!
Conto todos os segundos
Até tu quebrares este silêncio…
Por favor quebra-o, eu não consigo!

Os pequenos sussurros viram gritos,
Os gritos viram lágrimas…
Das lágrimas surgem risos
Que afastam todos os nossos medos.

Este mundo não tem qualquer valor para mim.
Eu desistia de tudo só para respirar,
Até ao dia da minha morte, o mesmo ar que tu!
Não consigo tirar os meus olhos de ti…

E acabo a desejar
Palavras para descrever o que sinto!
Estou a sentir-me inspirado,
O meu mundo virou de pernas para o ar…

Consegues ouvir este som?
É o bater do meu coração a intensificar-se,
Bate mais alto que nunca!
Sinto-me vivo, cheio de força!

Estou a acordar, finalmente…
Um forte toque na minha história pessoal!
É hora de me extravasar
E deixar o meu amor chegar a ti!
Finalmente estou acordado…

Isto é o que tu ganhas
Quando consegues ver a vida
Nos olhos de outra pessoa!


Publicado por Sandro M. Gomes às 23:22
Domingo, 12 de Outubro de 2008

Devagar...
Lá de baixo ninguém nos vê!
Digo, com segurança, que:
Agora nós estamos sozinhos…

Nem um pequeno sussurro,
O único barulho é o dos nossos corações!
Conto todos os segundos
Até tu quebrares este silêncio…
Por favor quebra-o, eu não consigo!

Os pequenos sussurros viram gritos,
Os gritos viram lágrimas…
Das lágrimas surgem risos
Que afastam todos os nossos medos.

Este mundo não tem qualquer valor para mim.
Eu desistia de tudo só para respirar,
Até ao dia da minha morte, o mesmo ar que tu!
Não consigo tirar os meus olhos de ti…

E acabo a desejar
Palavras para descrever o que sinto!
Estou a sentir-me inspirado,
O meu mundo virou de pernas para o ar…

Consegues ouvir este som?
É o bater do meu coração a intensificar-se,
Bate mais alto que nunca!
Sinto-me vivo, cheio de força!

Estou a acordar, finalmente…
Um forte toque na minha história pessoal!
É hora de me extravasar
E deixar o meu amor chegar a ti!
Finalmente estou acordado…

Isto é o que tu ganhas
Quando consegues ver a vida
Nos olhos de outra pessoa!


Publicado por Sandro M. Gomes às 23:22
Quarta-feira, 08 de Outubro de 2008

Espero uma chamada tua,
Estou doente…
Liga-me, por favor!
Liga! Estou desesperado pela tua voz…

Estou a ouvir a "nossa" música…
Que ouvimos sempre, bem juntos:
Borboletas, começo do verão...
Tudo se repete…
Como quando nós nos encontrávamos.

Nasci para, a todo o tempo, te dizer: Amo-te!
Fica comigo esta noite
E amanhã serei um homem novo…
Sinto tanta ambição, tu e eu…

De cada vez que respiras
E estás ao meu lado,
Ressuscitas as minhas profundas esperanças…

Diz-me qual é a tua maior fantasia!
É que estou cansado de "ser" sozinho,
E neste momento só me apetece voltar para casa,
Contigo!


Publicado por Sandro M. Gomes às 20:19
Quarta-feira, 08 de Outubro de 2008

Espero uma chamada tua,
Estou doente…
Liga-me, por favor!
Liga! Estou desesperado pela tua voz…

Estou a ouvir a "nossa" música…
Que ouvimos sempre, bem juntos:
Borboletas, começo do verão...
Tudo se repete…
Como quando nós nos encontrávamos.

Nasci para, a todo o tempo, te dizer: Amo-te!
Fica comigo esta noite
E amanhã serei um homem novo…
Sinto tanta ambição, tu e eu…

De cada vez que respiras
E estás ao meu lado,
Ressuscitas as minhas profundas esperanças…

Diz-me qual é a tua maior fantasia!
É que estou cansado de "ser" sozinho,
E neste momento só me apetece voltar para casa,
Contigo!


Publicado por Sandro M. Gomes às 20:19
Quarta-feira, 08 de Outubro de 2008

Espero uma chamada tua,
Estou doente…
Liga-me, por favor!
Liga! Estou desesperado pela tua voz…

Estou a ouvir a "nossa" música…
Que ouvimos sempre, bem juntos:
Borboletas, começo do verão...
Tudo se repete…
Como quando nós nos encontrávamos.

Nasci para, a todo o tempo, te dizer: Amo-te!
Fica comigo esta noite
E amanhã serei um homem novo…
Sinto tanta ambição, tu e eu…

De cada vez que respiras
E estás ao meu lado,
Ressuscitas as minhas profundas esperanças…

Diz-me qual é a tua maior fantasia!
É que estou cansado de "ser" sozinho,
E neste momento só me apetece voltar para casa,
Contigo!


Publicado por Sandro M. Gomes às 20:19
Quarta-feira, 08 de Outubro de 2008

Espero uma chamada tua,
Estou doente…
Liga-me, por favor!
Liga! Estou desesperado pela tua voz…

Estou a ouvir a "nossa" música…
Que ouvimos sempre, bem juntos:
Borboletas, começo do verão...
Tudo se repete…
Como quando nós nos encontrávamos.

Nasci para, a todo o tempo, te dizer: Amo-te!
Fica comigo esta noite
E amanhã serei um homem novo…
Sinto tanta ambição, tu e eu…

De cada vez que respiras
E estás ao meu lado,
Ressuscitas as minhas profundas esperanças…

Diz-me qual é a tua maior fantasia!
É que estou cansado de "ser" sozinho,
E neste momento só me apetece voltar para casa,
Contigo!


Publicado por Sandro M. Gomes às 20:19
Quarta-feira, 08 de Outubro de 2008

Espero uma chamada tua,
Estou doente…
Liga-me, por favor!
Liga! Estou desesperado pela tua voz…

Estou a ouvir a "nossa" música…
Que ouvimos sempre, bem juntos:
Borboletas, começo do verão...
Tudo se repete…
Como quando nós nos encontrávamos.

Nasci para, a todo o tempo, te dizer: Amo-te!
Fica comigo esta noite
E amanhã serei um homem novo…
Sinto tanta ambição, tu e eu…

De cada vez que respiras
E estás ao meu lado,
Ressuscitas as minhas profundas esperanças…

Diz-me qual é a tua maior fantasia!
É que estou cansado de "ser" sozinho,
E neste momento só me apetece voltar para casa,
Contigo!


Publicado por Sandro M. Gomes às 20:19
Quarta-feira, 08 de Outubro de 2008

Espero uma chamada tua,
Estou doente…
Liga-me, por favor!
Liga! Estou desesperado pela tua voz…

Estou a ouvir a "nossa" música…
Que ouvimos sempre, bem juntos:
Borboletas, começo do verão...
Tudo se repete…
Como quando nós nos encontrávamos.

Nasci para, a todo o tempo, te dizer: Amo-te!
Fica comigo esta noite
E amanhã serei um homem novo…
Sinto tanta ambição, tu e eu…

De cada vez que respiras
E estás ao meu lado,
Ressuscitas as minhas profundas esperanças…

Diz-me qual é a tua maior fantasia!
É que estou cansado de "ser" sozinho,
E neste momento só me apetece voltar para casa,
Contigo!


Publicado por Sandro M. Gomes às 20:19
Uma aventura nada arriscada pelo mundo da poesia. Entra e instala-te, deixa que em ti flua, de modo sensato, o espírito e a inspiração poética.
mais sobre mim
Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO