Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2009

Aterrorizado escondo-me debaixo dos lençóis
E combato o escuro com o escuro.
A vida fez-me conhecer novos medos,
O maior deles: o medo de viver!

Estou cansado de viver…
Cansado de lutar…
Cansado de chorar…
Cansado até de amar…

Chego a desconfiar da minha existência!
Estarei a mais neste pequeno universo
Ou serei eu especial?
Especial como esses diamantes que trazes ao pescoço!

Acho-me incapaz de continuar,
As forças já se esgotaram à muito
E o caminho é longo, escuro e sinuoso…
As decisões são minhas e eu não as consigo tomar!

Tenho receio de caminhar sozinho,
Medo que o destino me pregue mais partidas.
Não tenho qualquer motivação…
Quero começar de novo!

Viver tudo de uma forma diferente,
Fazer mais e melhor!
Mudar os erros que cometi sem querer
E cumprir tudo o que, conscientemente, prometi!

Foto: Reviver o passado de Orlando Medeiros


Publicado por Sandro M. Gomes às 15:48
Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2009

Aterrorizado escondo-me debaixo dos lençóis
E combato o escuro com o escuro.
A vida fez-me conhecer novos medos,
O maior deles: o medo de viver!

Estou cansado de viver…
Cansado de lutar…
Cansado de chorar…
Cansado até de amar…

Chego a desconfiar da minha existência!
Estarei a mais neste pequeno universo
Ou serei eu especial?
Especial como esses diamantes que trazes ao pescoço!

Acho-me incapaz de continuar,
As forças já se esgotaram à muito
E o caminho é longo, escuro e sinuoso…
As decisões são minhas e eu não as consigo tomar!

Tenho receio de caminhar sozinho,
Medo que o destino me pregue mais partidas.
Não tenho qualquer motivação…
Quero começar de novo!

Viver tudo de uma forma diferente,
Fazer mais e melhor!
Mudar os erros que cometi sem querer
E cumprir tudo o que, conscientemente, prometi!

Foto: Reviver o passado de Orlando Medeiros


Publicado por Sandro M. Gomes às 15:48
Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2009

Aterrorizado escondo-me debaixo dos lençóis
E combato o escuro com o escuro.
A vida fez-me conhecer novos medos,
O maior deles: o medo de viver!

Estou cansado de viver…
Cansado de lutar…
Cansado de chorar…
Cansado até de amar…

Chego a desconfiar da minha existência!
Estarei a mais neste pequeno universo
Ou serei eu especial?
Especial como esses diamantes que trazes ao pescoço!

Acho-me incapaz de continuar,
As forças já se esgotaram à muito
E o caminho é longo, escuro e sinuoso…
As decisões são minhas e eu não as consigo tomar!

Tenho receio de caminhar sozinho,
Medo que o destino me pregue mais partidas.
Não tenho qualquer motivação…
Quero começar de novo!

Viver tudo de uma forma diferente,
Fazer mais e melhor!
Mudar os erros que cometi sem querer
E cumprir tudo o que, conscientemente, prometi!

Foto: Reviver o passado de Orlando Medeiros


Publicado por Sandro M. Gomes às 15:48
Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2009

Aterrorizado escondo-me debaixo dos lençóis
E combato o escuro com o escuro.
A vida fez-me conhecer novos medos,
O maior deles: o medo de viver!

Estou cansado de viver…
Cansado de lutar…
Cansado de chorar…
Cansado até de amar…

Chego a desconfiar da minha existência!
Estarei a mais neste pequeno universo
Ou serei eu especial?
Especial como esses diamantes que trazes ao pescoço!

Acho-me incapaz de continuar,
As forças já se esgotaram à muito
E o caminho é longo, escuro e sinuoso…
As decisões são minhas e eu não as consigo tomar!

Tenho receio de caminhar sozinho,
Medo que o destino me pregue mais partidas.
Não tenho qualquer motivação…
Quero começar de novo!

Viver tudo de uma forma diferente,
Fazer mais e melhor!
Mudar os erros que cometi sem querer
E cumprir tudo o que, conscientemente, prometi!


Publicado por Sandro M. Gomes às 15:48
Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2009

Aterrorizado escondo-me debaixo dos lençóis
E combato o escuro com o escuro.
A vida fez-me conhecer novos medos,
O maior deles: o medo de viver!

Estou cansado de viver…
Cansado de lutar…
Cansado de chorar…
Cansado até de amar…

Chego a desconfiar da minha existência!
Estarei a mais neste pequeno universo
Ou serei eu especial?
Especial como esses diamantes que trazes ao pescoço!

Acho-me incapaz de continuar,
As forças já se esgotaram à muito
E o caminho é longo, escuro e sinuoso…
As decisões são minhas e eu não as consigo tomar!

Tenho receio de caminhar sozinho,
Medo que o destino me pregue mais partidas.
Não tenho qualquer motivação…
Quero começar de novo!

Viver tudo de uma forma diferente,
Fazer mais e melhor!
Mudar os erros que cometi sem querer
E cumprir tudo o que, conscientemente, prometi!


Publicado por Sandro M. Gomes às 15:48
Sexta-feira, 23 de Janeiro de 2009

Nasci de novo!

Voltei a sentir aquela inspiração

Que outrora me alimentava.

Voltei a tocar nas palavras!


Que saudade!

Escrever liberta-nos dos momentos menos bons,

Faz-nos sair deste mundo, voar!

E é tão bom ver um sonho a nascer!


É tão bom brincar com as palavras,

Atirá-las ao ar e esperar que tenham um significado!

É pintar uma tela sem pincel ou qualquer tinta,

É filmar a realidade sem câmara!


E as palavras vagueiam pela minha cabeça,

Assolam os meus sonhos, copiando-os!

Acordo e vejo-as bem à minha frente

Numa folha escritas.


Mais tarde posso recordá-las,

Atribuir-lhes um sentido lógico.

Encaixá-las na minha realidade

E esperar que nunca mais se apaguem!



Foto: Renascer de Manuel Lino


Publicado por Sandro M. Gomes às 14:36
Sexta-feira, 23 de Janeiro de 2009

Nasci de novo!

Voltei a sentir aquela inspiração

Que outrora me alimentava.

Voltei a tocar nas palavras!


Que saudade!

Escrever liberta-nos dos momentos menos bons,

Faz-nos sair deste mundo, voar!

E é tão bom ver um sonho a nascer!


É tão bom brincar com as palavras,

Atirá-las ao ar e esperar que tenham um significado!

É pintar uma tela sem pincel ou qualquer tinta,

É filmar a realidade sem câmara!


E as palavras vagueiam pela minha cabeça,

Assolam os meus sonhos, copiando-os!

Acordo e vejo-as bem à minha frente

Numa folha escritas.


Mais tarde posso recordá-las,

Atribuir-lhes um sentido lógico.

Encaixá-las na minha realidade

E esperar que nunca mais se apaguem!



Foto: Renascer de Manuel Lino


Publicado por Sandro M. Gomes às 14:36
Sexta-feira, 23 de Janeiro de 2009

Nasci de novo!

Voltei a sentir aquela inspiração

Que outrora me alimentava.

Voltei a tocar nas palavras!


Que saudade!

Escrever liberta-nos dos momentos menos bons,

Faz-nos sair deste mundo, voar!

E é tão bom ver um sonho a nascer!


É tão bom brincar com as palavras,

Atirá-las ao ar e esperar que tenham um significado!

É pintar uma tela sem pincel ou qualquer tinta,

É filmar a realidade sem câmara!


E as palavras vagueiam pela minha cabeça,

Assolam os meus sonhos, copiando-os!

Acordo e vejo-as bem à minha frente

Numa folha escritas.


Mais tarde posso recordá-las,

Atribuir-lhes um sentido lógico.

Encaixá-las na minha realidade

E esperar que nunca mais se apaguem!



Foto: Renascer de Manuel Lino


Publicado por Sandro M. Gomes às 14:36
Sexta-feira, 23 de Janeiro de 2009

Nasci de novo!

Voltei a sentir aquela inspiração

Que outrora me alimentava.

Voltei a tocar nas palavras!


Que saudade!

Escrever liberta-nos dos momentos menos bons,

Faz-nos sair deste mundo, voar!

E é tão bom ver um sonho a nascer!


É tão bom brincar com as palavras,

Atirá-las ao ar e esperar que tenham um significado!

É pintar uma tela sem pincel ou qualquer tinta,

É filmar a realidade sem câmara!


E as palavras vagueiam pela minha cabeça,

Assolam os meus sonhos, copiando-os!

Acordo e vejo-as bem à minha frente

Numa folha escritas.


Mais tarde posso recordá-las,

Atribuir-lhes um sentido lógico.

Encaixá-las na minha realidade

E esperar que nunca mais se apaguem!



Publicado por Sandro M. Gomes às 14:36
Sexta-feira, 23 de Janeiro de 2009

Nasci de novo!

Voltei a sentir aquela inspiração

Que outrora me alimentava.

Voltei a tocar nas palavras!


Que saudade!

Escrever liberta-nos dos momentos menos bons,

Faz-nos sair deste mundo, voar!

E é tão bom ver um sonho a nascer!


É tão bom brincar com as palavras,

Atirá-las ao ar e esperar que tenham um significado!

É pintar uma tela sem pincel ou qualquer tinta,

É filmar a realidade sem câmara!


E as palavras vagueiam pela minha cabeça,

Assolam os meus sonhos, copiando-os!

Acordo e vejo-as bem à minha frente

Numa folha escritas.


Mais tarde posso recordá-las,

Atribuir-lhes um sentido lógico.

Encaixá-las na minha realidade

E esperar que nunca mais se apaguem!



Publicado por Sandro M. Gomes às 14:36
Uma aventura nada arriscada pelo mundo da poesia. Entra e instala-te, deixa que em ti flua, de modo sensato, o espírito e a inspiração poética.
mais sobre mim
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
24

25
26
27
28
30
31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO