Quarta-feira, 18 de Março de 2009

Sabes bem que eu poderia ser mesquinho,

Poderia ser arrogante, irónico…

Bem sabes que poderia ser como tu és!


Poderia ser falso, mentiroso…

Podia muito bem ser estúpido!

Poderia ser justamente como tu és!


Pensaste que estavas a meu lado…

Apenas estavas no meu caminho!

Estás errada, e pensas que eu sou como tu!


Pensaste que me davas ordens e eu obedecia!

Apenas estavas no meu caminho…

Errada ao pensares que eu sou como tu!


Bem que eu poderia ser frio,

Eu poderia ser cruel…
Sabes muito bem que poderia ser como tu és!


Poderia ser fraco,

Poderia chegar até a ser insensível!

Eu e tu bem que poderíamos ser iguais!


A partir daqui continuo só nesta caminhada

Obedecendo a mim mesmo,

Pois não aguento mais viver contigo!


Seguirei sozinho,

Pois assim não serei o que tu quiseres…

Não serei como tu!


Foto: Eu sou diferente de Ana Franco



Publicado por Sandro M. Gomes às 20:09
Quarta-feira, 18 de Março de 2009

Sabes bem que eu poderia ser mesquinho,

Poderia ser arrogante, irónico…

Bem sabes que poderia ser como tu és!


Poderia ser falso, mentiroso…

Podia muito bem ser estúpido!

Poderia ser justamente como tu és!


Pensaste que estavas a meu lado…

Apenas estavas no meu caminho!

Estás errada, e pensas que eu sou como tu!


Pensaste que me davas ordens e eu obedecia!

Apenas estavas no meu caminho…

Errada ao pensares que eu sou como tu!


Bem que eu poderia ser frio,

Eu poderia ser cruel…
Sabes muito bem que poderia ser como tu és!


Poderia ser fraco,

Poderia chegar até a ser insensível!

Eu e tu bem que poderíamos ser iguais!


A partir daqui continuo só nesta caminhada

Obedecendo a mim mesmo,

Pois não aguento mais viver contigo!


Seguirei sozinho,

Pois assim não serei o que tu quiseres…

Não serei como tu!


Foto: Eu sou diferente de Ana Franco



Publicado por Sandro M. Gomes às 20:09
Sábado, 14 de Março de 2009

Vi a face negra de um anjo,
Ouvi os seus angustiantes lamentos,
Senti o medo na sua mão!
Um corpo avassalado pelo desgosto.

Vi as suas lágrimas de sangue,
Os seus olhos doentes!
Espelho perfeito da sua alma,
Denegrida, desfeita, arruinada!

Ajoelhei-me perante esse anjo,
Dei-lhe ambas as mãos.
Partilhei do seu sofrimento,
Suportei o seu desgosto!

Acorda, reage, renasce!
Apaga o passado nefasto,
Que más memórias te teima em trazer
E vive… pois só o poderás fazer uma única vez!

Foto: A queda de um anjo de Graça Loureiro


Publicado por Sandro M. Gomes às 00:19
Sábado, 14 de Março de 2009

Vi a face negra de um anjo,
Ouvi os seus angustiantes lamentos,
Senti o medo na sua mão!
Um corpo avassalado pelo desgosto.

Vi as suas lágrimas de sangue,
Os seus olhos doentes!
Espelho perfeito da sua alma,
Denegrida, desfeita, arruinada!

Ajoelhei-me perante esse anjo,
Dei-lhe ambas as mãos.
Partilhei do seu sofrimento,
Suportei o seu desgosto!

Acorda, reage, renasce!
Apaga o passado nefasto,
Que más memórias te teima em trazer
E vive… pois só o poderás fazer uma única vez!

Foto: A queda de um anjo de Graça Loureiro


Publicado por Sandro M. Gomes às 00:19
Sábado, 14 de Março de 2009

Vi a face negra de um anjo,
Ouvi os seus angustiantes lamentos,
Senti o medo na sua mão!
Um corpo avassalado pelo desgosto.

Vi as suas lágrimas de sangue,
Os seus olhos doentes!
Espelho perfeito da sua alma,
Denegrida, desfeita, arruinada!

Ajoelhei-me perante esse anjo,
Dei-lhe ambas as mãos.
Partilhei do seu sofrimento,
Suportei o seu desgosto!

Acorda, reage, renasce!
Apaga o passado nefasto,
Que más memórias te teima em trazer
E vive… pois só o poderás fazer uma única vez!

Foto: A queda de um anjo de Graça Loureiro


Publicado por Sandro M. Gomes às 00:19
Terça-feira, 10 de Março de 2009

Ontem o sol brilhava, o vento levemente soprava…

Hoje o dia está sombriamente chuvoso!

Ontem éramos como um só Ser.

Hoje somos “tu” e “eu”!


No passado a felicidade reinava em nós,

Invejavam o nosso sorriso!

Hoje não te posso ver; nem tu a mim…

E este silencioso rancor nos domina!


Hoje sou diferente…

Cresci!

Vejo o amanhecer com outros olhos,

O brilho do sol parece-me diferente também.


Já nada é igual…

Tudo tende a melhorar com o tempo!

Mas o amor, o amor…

Esse estará em mim eternamente!


Foto: Nem eu sei a dimensão do meu amor de Emanuel Amaral



Publicado por Sandro M. Gomes às 20:15
Terça-feira, 10 de Março de 2009

Ontem o sol brilhava, o vento levemente soprava…

Hoje o dia está sombriamente chuvoso!

Ontem éramos como um só Ser.

Hoje somos “tu” e “eu”!


No passado a felicidade reinava em nós,

Invejavam o nosso sorriso!

Hoje não te posso ver; nem tu a mim…

E este silencioso rancor nos domina!


Hoje sou diferente…

Cresci!

Vejo o amanhecer com outros olhos,

O brilho do sol parece-me diferente também.


Já nada é igual…

Tudo tende a melhorar com o tempo!

Mas o amor, o amor…

Esse estará em mim eternamente!


Foto: Nem eu sei a dimensão do meu amor de Emanuel Amaral



Publicado por Sandro M. Gomes às 20:15
Terça-feira, 10 de Março de 2009

Ontem o sol brilhava, o vento levemente soprava…

Hoje o dia está sombriamente chuvoso!

Ontem éramos como um só Ser.

Hoje somos “tu” e “eu”!


No passado a felicidade reinava em nós,

Invejavam o nosso sorriso!

Hoje não te posso ver; nem tu a mim…

E este silencioso rancor nos domina!


Hoje sou diferente…

Cresci!

Vejo o amanhecer com outros olhos,

O brilho do sol parece-me diferente também.


Já nada é igual…

Tudo tende a melhorar com o tempo!

Mas o amor, o amor…

Esse estará em mim eternamente!


Foto: Nem eu sei a dimensão do meu amor de Emanuel Amaral



Publicado por Sandro M. Gomes às 20:15
Sábado, 07 de Março de 2009



O amor é assim mesmo...
Chega sem enviar aviso,
Vem cristalino, nu, como uma criança nascida,
Ou vem ferido por uma seta espinhosa,
Não bate à porta, entra e instala-se.

Emerge, como um anjo azul, entoando cânticos;
Da nuvem onde jazia oculto,
Perturbação do nosso coração solitário,
Ou um voo amargo procurando afecto.

Aromatiza o nosso corpo,
E faz todo dia ser Domingo Primaveril,
A nossa vaidade mais vaidosa ainda,
Sorrimos para o espelho, ele ao lado.

O amor é assim mesmo...
Floresce dum olhar, duma palavra...
Germina dum sorriso ou vem à toa,
Delicado como quem devia vir antes,
Arriscando-se, ou como quem não quer nada.

O amor é assim mesmo...
Ao chegar traz na bagagem saudade,
Enraizando-se para toda a vida,
Faz as mágoas serem apenas instantes,
Por pouco tempo, e depois parte,
E deixa em nós um prejuízo desmedido.

O amor é assim mesmo...


Publicado por Sandro M. Gomes às 22:06
Sábado, 07 de Março de 2009



O amor é assim mesmo...
Chega sem enviar aviso,
Vem cristalino, nu, como uma criança nascida,
Ou vem ferido por uma seta espinhosa,
Não bate à porta, entra e instala-se.

Emerge, como um anjo azul, entoando cânticos;
Da nuvem onde jazia oculto,
Perturbação do nosso coração solitário,
Ou um voo amargo procurando afecto.

Aromatiza o nosso corpo,
E faz todo dia ser Domingo Primaveril,
A nossa vaidade mais vaidosa ainda,
Sorrimos para o espelho, ele ao lado.

O amor é assim mesmo...
Floresce dum olhar, duma palavra...
Germina dum sorriso ou vem à toa,
Delicado como quem devia vir antes,
Arriscando-se, ou como quem não quer nada.

O amor é assim mesmo...
Ao chegar traz na bagagem saudade,
Enraizando-se para toda a vida,
Faz as mágoas serem apenas instantes,
Por pouco tempo, e depois parte,
E deixa em nós um prejuízo desmedido.

O amor é assim mesmo...


Publicado por Sandro M. Gomes às 22:06
Uma aventura nada arriscada pelo mundo da poesia. Entra e instala-te, deixa que em ti flua, de modo sensato, o espírito e a inspiração poética.
mais sobre mim
Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13

15
16
17
19
20
21

22
24
25
27
28

29
30


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO