Sexta-feira, 13 de Junho de 2008


Ah! Este amor de poeta sonhador…
Consegues ver? Consegues sentir?
Transparente, de extrema brancura,
Sincero, uma rosa no jardim da vida.


Ah! Esta alma de poeta sonhador.
Dilacerada pela triste realidade,
A alma adoece alarmadamente a cada momento
Maleita que abate mas que não mata…


Procuro uma alma gémea,
Que portadora de amor semelhante
Me possa acalmar a dor que sinto,
Que possamos, juntos, amar.


Mas, desiste poeta sonhador…
Chega de marcar com cicatrizes o corpo,
Chega de enganar a cada segundo a alma,
Chega de viver na ilusão…


Nunca encontrarei o que busco desesperadamente,
Nunca serei completo…
E tu, que partilhas semelhantes ideais,
Foges de mim, aumentas o meu sofrimento.



Publicado por Sandro M. Gomes às 18:07
Uma aventura nada arriscada pelo mundo da poesia. Entra e instala-te, deixa que em ti flua, de modo sensato, o espírito e a inspiração poética.
mais sobre mim
Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
19
20

22



pesquisar neste blog
 
blogs SAPO